quarta-feira, 17 de janeiro de 2018


Pau de galinheiro

Mas será o Benedito? Toda vez que alguém é indicado para um cargo público de relevância aparece um escândalo logo em seguida. Será que o serviço secreto brasileiro só descobre essas coisas depois que a imprensa publica? Ou será que esses jornalistas investigativos trabalham pro serviço secreto?

O tanto de coisas escondidas que a imprensa descobre é demais. Se bem que isso de investigar e descobrir é o de menos. Minha mãe já dizia que nenhum comerciante aguenta mais de trinta dias de fiscalização. Dou por menos; qual o marido, mesmo aqueles ferrolhos de igreja, que aguenta a esposa cutucando seu celular uma manhã inteira? Pode até nem descobrir amante, mas com certeza vai chegar no aplicativo do banco e descobrir o saldo da conta e as aplicações financeiras que ele tem.

Uma maneira antiga de derrubar poderosos eram os dossiês. Antônio Carlos Magalhães, que Deus o tenha (se é que ele está por lá) inventou um tal dossiê contra seu inimigo político Jutahy Magalhães, que era Ministro à época. ACM fez um escarcéu sobre o assunto e, todo pimpão, foi ao Presidente da República que sabidamente convocara a imprensa para receber os documentos. ACM esperava uma audiência particular para impor sua maldade. Revelado o dossiê, provou-se que eram apenas recortes de jornal. Daquela vez não colou.

Aqui mesmo na Paraíba houve recentemente a conjectura de nomeação de um deputado federal para um Ministério. Em 24 horas até Ciro Gomes abalou-se do Ceará para flechar o pobre coitado.

Nem sempre as denúncias contra os poderosos precisam ser verdadeiras, basta que impactem o imaginário popular.

Na Inglaterra ficou celebre a acusação de que um primeiro ministro havia feito sexo com um porco. Aqui no Brasil tivemos muitos casos assim.

Com as eleições se aproximando a mídia e principalmente as redes sociais vão ser ocupadas por denúncias contra políticos. De minha parte, mesmo não votando em ninguém, adoro essa época. É que os adversários fazem acusações mutuas de fatos que o povo desconhecia. Um diz que o outro é ladrão e o outro devolve a acusação. Com certeza os dois terão razão, porque ambos roubaram.

Seremos governados por ladrões, mas pelo menos fomos avisados antes por eles mesmos, né?

Marcos Pires  
Do Blog do Tião

O baú

Como estranhas lembranças de outras vidas,
Que outros viveram, num estranho mundo,
Quantas coisas perdidas e esquecidas
No teu baú de espantos... Bem no fundo,
Uma boneca toda estraçalhada!
(isto não são brinquedos de menino...
alguma coisa deve estar errada)
mas o teu coração em desatino
te traz de súbito uma ideia louca:
é ela, sim! Só pode ser aquela,
a jamais esquecida Bem-Amada.
E em vão tentas lembrar o nome dela...
E em vão ela te fita... e a sua boca
Tenta sorrir-te mas está quebrada! 



Mário Quintana

Escritor: não somente uma certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira.

Carlos Drummond de Andrade

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Pensamos demasiadamente e sentimos muito pouco. Necessitamos mais de humildade que de máquinas. Mais de bondade e ternura que de inteligência. Sem isso, a vida se tornará violenta e tudo se perderá.

Charles Chaplin

Frase

Assim que se olharam, amaram-se; assim que se amaram, suspiraram; assim que suspiraram, perguntaram-se um ao outro o motivo; assim que descobriram o motivo, procuraram o remédio.

William Shakespeare

"Somos assim: Sonhamos o voo mas tememos a altura. Para voar é preciso ter coragem para enfrentar o terror do vazio. Porque é só no vazio que o voo acontece. O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Mas é isso o que tememos: o não ter certezas. Por isso trocamos o voo por gaiolas. As gaiolas são o lugar onde as certezas moram."

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido.

Fernando Pessoa

Ninguém é inocente




domingo, 14 de janeiro de 2018

Agora sexo só com declaração explícita

Minha mãe dizia: "Quando um não quer, dois não fazem." Mas isso é do tempo da minha mãe. Hoje na Suécia e na França os governos estudam criar leis que determinem que parceiros sexuais pratiquem seus atos só depois do consentimento explícito. Vale para homens e mulheres. Entre si, ou como quiserem. Alegam as autoridades desses países que a medida é para dificultar o crime de estupro, ou de assédio sexual, que vem abalando o mundo, depois das denúncias de famosos de Hollywood. Pode parecer piada, mas aquilo que sempre foi natural entre os sexos, passou a ser motivo de chantagem, publicidade, processos, escândalos e manchetes na mídia. Casos de vinte a trinta anos passaram a ser denunciados judicialmente. Há casos que o acusado já nem lembra, por conta da idade, mas admite poder ter acontecido. Na época era normal que acontecesse. Normal e desejado. Hoje é que a coisa esta ficando estranha. Imaginem a cena de um casal (não importando o gênero) em que antes do primeiro beijo o outro exige que façam uma declaração autorizativa. Poderá ser feita em papel apropriado, em duas vias, cujo bloco um dos parceiros leva na mochila. Na falta de papel e caneta poderá ser feita através de WhatsApp. Mas se o iPhone estiver sem bateria, ou fora da área de cobertura, nada feito. Sem declaração não se faz mais sexo.

Eduardo P. Lunadelli

Fábula

Havia um sábio que não poupava esforços para ensinar bons hábitos a seu povo. Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada. Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.

Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que ele levava para moagem na usina e desviou sua carroça. Logo depois, um jovem soldado, veio cantando pela estrada. Ele tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. 

Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. E disse: já está quase escurecendo, alguém pode. Vou tirá-la do caminho. Para sua surpresa, encontrou uma caixa. Na tampa havia os seguintes dizeres: "Esta caixa pertence a quem retirar a pedra." Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro. 

Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros ouviram o que havia ocorrido, foram para o local onde a pedra estava na esperança de encontrar um pedaço de ouro. 

Então o sábio falouMeus amigos, com frequência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.

Prof. Menegatti 

Diga NÃO ao racismo


O Uber

Eu e Mãe Leca estávamos voltando da maravilhosa festa de Fred e Tereza em Areia Dourada e chamamos um Uber. O motorista chegou num carro meia boca, pequeno, sem ar. Com um forte sotaque foi logo dizendo (sem que tivéssemos perguntado) que aquele carro era de um genro seu e que ele estava ali somente passando tempo, porque na verdade era milionário e não precisava nem trabalhar mais.

“- Eu sou do Mato Grosso. Crio gado em muitas fazendas e estou passando as festas na casa dos meus parentes. Como foram todos para Campina Grande eu tirei o carro da garagem só para ter com quem conversar. Mas eles não sabem que eu sou milionário, porque aí minha vida iria virar um inferno”.

Quem me conhece sabe que meu faro por mentiras vai longe. Senti ali uma queimando, mas precisava confirmar e indaguei do tamanho de seus rebanhos.

“- De gado leiteiro eu tenho oito mil cabeças, mas a maior parte é gado de corte. Da última vez que contei tinha pra mais de cem mil reses”.

Mentira? Quis tirar a prova dos nove e perguntei a ele como conseguira juntar aquela fortuna.

“- Eu era o capataz de duas fazendas de um político da minha região. Sem que eu soubesse ele tinha colocado aquelas fazendas e muita coisa mais em meu nome. Como eu era analfabeto nem sabia de nada. Uma vez ele me fez ir ao cartório assinar um papel para ele, só com o dedão, né? Depois eu soube que era uma procuração. Com o tempo aprendi a ler e fui percebendo tudo, mas ele morreu e como não tinha filhos e a mulher dele era mais burra do que eu, findou que eu fiquei com tudo e aí aumentei muito as coisas”.

Pronto! A conversa do velhinho tinha logica; é que em toda conversa que entra safadeza de político até o que parece absurdo se torna realidade.

Estávamos chegando ao destino e eu não sabia se ele era mentiroso. Arrisquei: “- Amigo, ficaremos aqui”. Tinha na mão uma nota de cinco reais (O Uber faz debito automático no cartão de credito) e disse a ele que se tratando de um milionário eu não iria constrange-lo oferecendo uma gorjeta. E tão pequena.

Ah, leitores queridos, o velhinho deu uma puxada na nota que quase levou meus dedos juntos.

Ainda hoje estou na dúvida se ele era sovina, miserável ou mentiroso.

Marcos Pires 
Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito: precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama. Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo. Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar. 

P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.

Clarice Lispector

Ousadia é ser eu mesma em um mundo onde as pessoas inventam versões minhas. 

Zack Magiezi